terça-feira, 8 de outubro de 2013

Entrevista de Darren Criss para Da Man


Post in: Daman


A mais recente estrela de Glee, Darren Criss, sabe como criar um rumor. Sua criativa companhia teatral fez um vídeo no YouTube, se divertindo com Harry Potter (vídeo aqui), e que se tornou viral, não uma, mas duas vezes. Então, em seu primeiro episódio em Glee, ele cantou uma versão cover de "Teenage Dream" (de Katy Perry) e que se tornou viral, chegando ao primeiro lugar no iTunes no final de 2010 (ele cantou essa música para Kurt duas vezes 1° aqui (canta alegre) e a 2° aqui (canta chorando)). Agora ele está aqui para mostrar o seu lado fashion em exclusividade para a DA MAN.

Interpretar o assumido personagem gay Blaine – na grande sensação da TV que é o seriado Glee – não impediu as fãs do sexo feminino de enlouquecer por ele como as garotas nos shows dos Beatles em 1960. Darren Criss, que afirma ser hetero e muito confiante sobre sua sexualidade – o que lhe permite desempenhar um papel como Blaine – está andando na crista de uma enorme onda de fama no momento e espera transformar isso em uma longa, aclamada carreira no showbiz. Nascido em San Francisco em 1987 (e comemorando seu 24 º aniversário em 05 de fevereiro deste ano), ele é o filho de um pai irlandês-americano e mãe filipina-americana. Antes de Glee, estudou artes cênicas na Universidade de Michigan e atuou em peças de teatro em São Francisco quando era criança. Ele também é um talentoso músico, tocando rock 'n' roll (como seu irmão, Chuck) e iniciou uma companhia de produção teatral com seus colegas de universidade. Ele sentou-se com a DA MAN durante seu ensaio fotográfico para que nós possamos dar uma olhada em como tudo isso aconteceu.


DA MAN: Você descobriu que você tem muita coisa em comum com Blaine em Glee?

Darren Criss: Sim, na verdade. Eu me sinto muito afortunado por ter o tipo de apoio que eu tive enquanto crescia, sabendo que eu tenha escapado da luta a que a maioria é forçada a lidar. Sinto uma espécie de culpa de sobrevivente por isso ter sido tão bom para mim. Eu tenho trazido essas experiências para Blaine, no sentido de que ele também tem um pouco dessa culpa de sobrevivente. Ele vive neste lugar mágico onde é legal ser o que quiser. E, você sabe, é quase perfeito demais. Ele sente culpa por todas as provações e tribulações de antes. Isso é uma grande semelhança entre Blaine e eu. Eu definitivamente tenho muita culpa sobre coisas que eu nunca tive que lidar. A Academia Dalton [a escola fictícia onde Blaine estuda em Glee] é estranhamente quase igual à escola onde estudei. Meu blazer é exatamente o mesmo que o meu blazer do ensino médio, o set é uma réplica dos corredores e salas de aula da minha escola no ensino médio. É assustador.


DA MAN: Você se tornou mais próximo de algum dos membros do elenco de Glee?

Darren Criss: Eu tenho um ótimo relacionamento com Max Adler. Ele interpresa o valentão, mas ele é um ótimo cara. Ele está no mesmo barco que eu, de ser um ator convidado na série e tendo sido recentemente lançado neste louco carnaval que é Glee. Nós dois somos apresentados no mesmo episódio. Então, nós sempre nos encontramos sentados nos bastidores brincando e conversando.


DA MAN: Glee parece estar servindo a um propósito maior no seu comentário sobre as questões sociais: Como você está lidando com a nova responsabilidade?

Darren Criss: Glee é realmente tudo sobre a tolerância aos outros. Claro, eu sou tão novo nesta louca máquina, mas eu sou um partidário de muitas causas e organizações.

DA MAN: Você acha que o seu ponto de vista benevolente tem algo a ver com sua educação?
Darren Criss: Com certeza. Crescendo na maior parte em um teatro em São Francisco, fui inadvertidamente criado pela comunidade gay. Eu cresci nessa bolha de aceitar as pessoas pelo o que elas eram. Era um sistema de muito apoio em que eu nunca me senti alienado pelos interesses que eu tinha. Ainda assim, é muito importante reconhecer que sua situação não é a mesma de todo mundo. Tenho observado a luta da comunidade gay, e vi pessoalmente muitos dos meus amigos esforçando-se com todas as coisas em que eu fora aceito – seja a sua sexualidade ou os seus interesses pessoais. Eles normalmente não conseguem ver um personagem como Blaine na TV e achei que era hora disso acontecer. Blaine é um grande personagem e eu me sinto privilegiado por ser o “recipiente” para ele.

DA MAN: Você sempre se sentiu a necessidade de representar em algum nível?

Darren Criss: Claro, sempre. Eu sempre fui muito idealista, no entanto. Eu quero fazer tudo, mas a fama não é a motivação, criar um bom trabalho sempre foi o principal.


DA MAN: Quais são alguns dos outros papéis que você gostaria de interpretar?

Darren Criss: Eu adoraria ser o Mestre de Cerimônias em Cabaret [produção teatral da Broadway]. Como alternativa, há um monte de peças do Albee [o dramaturgo Edward Albee] em que eu adoraria trabalhar… Há uma peça maravilhosa chamada A Cabra ou Quem É Sylvia? de Albee, e eu sempre quis ser o garoto [Alan Strang, um cavalariço de um rancho de cavalos com uma raia violenta] na produção teatral "Equus", [escrita por Peter Shaffer].

DA MAN: E sobre estrelar algumas de suas próprias peças?

Darren Criss: Sim! Eu tenho uma companhia de teatro em Chicago e escrevo musicais: Isso é o que eu fiz antes de Glee. Comecei a companhia de teatro com os meus melhores amigos da faculdade e isso tem sido uma enorme parte da minha vida. Ser um músico, escrever musicais, conduzir uma companhia de teatro – isso tem sido o meu esforço mais importante. Na verdade, às vezes eu sinto como se eu estivesse na clandestinidade como um ator em Glee, enquanto eu sustento a minha vida no teatro.

DA MAN: Você deve estar se referindo a StarKid Productions, seu grupo teatral estudantil fundado em 2009 por você e seus colegas da Universidade de Michigan. O que você pode nos dizer sobre isso?

Darren Criss: a StarKid Productions se tornou uma espécie de marca com as apresentações que criamos. A maioria do que nós fizemos você pode ver no YouTube. Isso meio que começou com peças escritas para nós mesmos, por diversão; e a única razão para que nós começássemos a colocá-las no YouTube foi para os nossos amigos quando eles perdiam um show, devido a exames e coisas assim. E eu fiquei muito chocado quando tantas pessoas que nem sequer nos conhecem começaram a assistir as produções no YouTube. Foi muito especial, porque o que estávamos fazendo era tão divertido, e as obras eram inocentes e genuínas, muito discretas. Eu tenho escrito músicas para cinco dos shows. Se algum dia eu fizer um musical na Broadway, eu espero que seja um dos meus. Eu amaria até mesmo só sentar na plateia e ver um dos meus shows na Broadway. Atualmente, estou lançando a música dos meus próprios musicais e um monte de pessoas que vêm aos meus shows, ou começando a seguir o meu personagem em Glee, são realmente fãs de StarKid.

DA MAN: Será que ambos os seus trabalhos – no teatro ou em Glee – sempre interferem uns com os outros?

Darren Criss: Sim, eu estou manipulando essas duas coisas e isso tem sido definitivamente um trabalho muito difícil. Mas, continuamos a introdução de mais shows para StarKid, e eu fico gravando para Glee. Eu estava planejando lançar um álbum musical e então Glee aconteceu, e com certeza, houve um atraso, mas no final tudo isso ajuda em gravações mais interessantes.

DA MAN: Vamos falar um pouco sobre StarKid Productions e da estrada antes de seu enorme sucesso em Glee: Como tudo começou?

Darren Criss: Tudo começou quando eu estava na faculdade. Meus amigos e eu criamos a a StarKid para fazer espetáculos, porque era divertido para nós e nossos amigos. Todo mundo só queria se divertir. Poderíamos escrever versões de Star Wars e O Hobbit, com músicas da Celine Dion – modestas e irreverentes coisas que não são muito conscientes da história. A Very Potter Musical (Um Musical Muito Potteriano), que foi o primeiro dos nossos vídeos a se tornar viral, foi o melhor porque foi claramente feito por pessoas que amam a franquia. Mas enquanto estávamos criando estes espetáculos, as pessoas estão na escola. Eles têm de escrever redações e provas finais e quando fizemos o musical Potteriano, poucas pessoas puderam ver. Assim, como muitos de nossos shows, nós temos a gravação, e depois que nos formamos na Universidade de Michigan, (que era como minha própria Hogwarts pessoal), nós continuamos falando sobre o espetáculo e pensei, 'cara, nós realmente temos que mostrar isso aos nossos amigos', então nós só o colocamos no YouTube. Nós não achamos que alguém, exceto os nossos amigos, iam vê-lo e, em seguida, inesperadamente, o nosso vídeo era o número um no mundo.

DA MAN: Que grande desafio é produzir o seu espetáculo de teatro em conjunto com as gravações de Glee?

Darren Criss: É uma empreitada enorme. Glee é a produção mais caótica e é muito trabalho. Eu não quero deturpar ou menosprezar Glee, porém, tenho que admitir que Glee é umas férias bem-vinda, o que é uma loucura, porque eu trabalho muito duro em Glee. Mas, isso realmente não é nada comparado ao executar o seu próprio espetáculo – especialmente por meio de correspondência – de Los Angeles para Chicago, no meu quarto com apenas um piano e uma conexão à Internet. Quer dizer, se eu disser a qualquer um do elenco fixo de Glee que o seriado é as minhas férias, eles pensariam que eu sou louco, mas eu não vou ao ar tão frequentemente quanto eles já que sou um ator convidado. A grande coisa sobre o trabalho na TV é a vantagem do tempo. Você senta no trailer por um longo tempo, e eu realmente tenho um monte de trabalho da StarKid Productions já feito. Glee tem tanto complicado minhas ambições em termos de programação mas também melhorado-as porque Glee é inegavelmente uma dos maiores, se não a maior, plataformas para qualquer novo ator jovem. Então, eu não ia dizer não a isso. E embora eu esteja orgulhoso de todo o trabalho que eu fiz na StarKid Productions, que ganhou uma base de fãs na casa das centenas de milhares, não é nada comparado aos milhões de fãs de Glee. Então, eu estou contente que meus projetos diferentes alcançaram demografias diferentes. Para dizer o mínimo, Glee tem aumentado a atenção para a StarKid Productions de uma forma ótima.

DA MAN: Com Glee apresentando sua voz e a StarKid Productions apresentando seus outros talentos musicais, você tem algum interesse em prosseguir uma carreira independente como um “rock’n’roller”?

Darren Criss: Na verdade, eu estava em uma encruzilhada pouco antes de Glee, quando o meu principal investimento pessoal era a StarKid Productions. Nesse ponto, eu estava realmente começando a perseguir mais a parte musical. Eu estava a semanas de me se sentar com os meus agentes para dizer que a música tinha se provado ser mais lucrativa em muitos níveis e, embora eu estivesse fazendo testes o tempo todo e as coisas não estivessem indo mal, eu estava tocando em mais shows e ficando cada vez mais certo de ser um músico do que ser um ator. Eu estava no meio de uma decisão de potencialmente assinar um contrato de gravação, e eu tinha algumas opções muito boas. Ser um músico de estúdio ia ser uma rota nova na minha vida: lançar um disco, fazer turnês e esta ia ser a minha vida. E então Glee me chamou e uma coisa nunca vem só. Glee me mantém ocupado, mas eu estava prevendo lançar um álbum, assim, dependendo de como as coisas acontecerão nos próximos meses, eu ainda gostaria de fazer isto. São seis anos de atraso! A StarKid Productions toma muito do meu tempo, mas eu gostaria de ter algum desse tempo para mim e realmente fazer isso.

DA MAN: Ouvi dizer que você voltou recentemente de uma turnê nas Filipinas, como foi?

Darren Criss: Divertido! Foi bom estar de volta lá. Foi certamente em circunstâncias diferentes do que no passado, mas foi muito nostálgico, porque três anos antes eu estava lá na mesma época do ano, na mesma área no centro da cidade, para o casamento da minha prima. Ainda era muito divertido, mas este ano foi tudo sobre trabalho.

DA MAN: Então você é parte filipino, certo?

Darren Criss: Eu sou parte filipino. Minha mãe é das Filipinas, é obviamente uma linhagem muito misturada por causa dos diferentes colonizadores ao longo dos anos, como Espanha, China, etc. Mas sim, eu me identifico como sendo metade filipino. Às vezes, eu queria ser mais do que isso, eles são pessoas maravilhosas.

Da Man: Você acha que a sua herança asiática tem ajudado a sua carreira em tudo?

Darren Criss: Qualquer pessoa na posição em que estou esperaria saber que ter uma distinta herança como ser filipino é uma bênção enorme em um mercado global. Eu não sei se ele é diretamente responsável por coisas que aconteceram, mas sei que para a StarKid Productions, pelo menos, cada vez que conseguimos algo do Youtube ou de outras fontes, as Filipinas sempre têm uma percentagem muito grande nos nossos acessos. Será que eles descobriram de algum jeito que eu tinha sangue Filipino? Claro, eu não ficaria surpreso. Ainda assim, eu gostaria de pensar que teriam adorado a StarKid Productions não importa o que, mesmo se eu fosse de Marte.

DA MAN: O que você pode nos dizer sobre Starship, o mais recente espetáculo da Starkid Productions, que estreará em Chicago em Fevereiro?

Darren Criss: Tem sido a ruína e a alegria de cada segundo meu nas últimas semanas. Ela estreia em fevereiro e é, de longe, a maior coisa que já fizemos. Nós temos nosso próprio "Homem-Aranha” em nossas mãos, é realmente uma coisa muito difícil. Starship é a nossa primeira incursão em um mundo mais profissional. Temos um pouco de espaço em Chicago e estamos tentando nos legitimar com material original: é um show que enfoca em elementos que são populares em ficção científica. Usamos muitos temas populares, mas é definitivamente uma história original. Ela envolve muito material de produção de alto nível. Tento direcionar os meus esforços em escrever meu próprio álbum. Eu tenho tantas músicas, que é apenas uma questão de decidir quais delas eu vou colocar nele.

DA MAN: Quanto de seu conhecimento musical foi adquirido através de treinamento formal versus estudo pessoal?

Darren Criss: Violino era realmente o único instrumento que recebi aulas formais, todo o resto eu aprendi sozinho. Mas, eu teria gostado de ter algum tipo de instrução, eu adoraria ter aulas agora. Meu amigo Masu sempre me disse: 'Se você quiser chegar a Oakland, você só tem que caminhar nessa direção por muito tempo, e você vai chegar a Oakland. Mas se você só pedir a uma pessoa por indicações, você vai chegar lá mais rápido.". Eu acho que eu não pedi um monte de indicações. Eu poderia chegar muito mais rápido se eu tivesse feito, mas eu sei que estou em meu caminho!

DA MAN: Qual é o potencial da StarKid Productions? Poderia se transformar em uma empresa de produção que trataria não só no teatro, mas de filmes e televisão?

Darren Criss: Nossas portas estão abertas a tudo. Eu tenho uma estranha justaposição com a StarKid Productions, onde, por um lado somos realmente apenas universitários graduados tentando desvendar tudo isso, e por outro lado, tenho esta máquina bem oleada que é a atuação na TV. Somos todos atores, artistas e roteiristas. Nós todos temos um interesse em transformar as nossas paixões em projetos, mas tudo depende das oportunidades que as pessoas nos dão. O sucesso real e fortuna são a última preocupação em nossa mente. Tudo o que podemos esperar é levar o nosso trabalho original a um outro nível. Novamente e novamente e novamente.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este é um espaço de diálogo e troca entre os visitantes do blog. Compartilhe sua opinião respeitando a opinião dos demais. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário que julgarmos inoportuno ou que não esteja de acordo com a política do blog: Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...