domingo, 25 de setembro de 2011

Entrevista da Anna Torv para Nylon



Post in: Nylon


Repórter: Você está atuando em Fringe com dois personagens – a agente do FBI Olivia Dunham e seu homólogo do universo paralelo, chamada Fauxlivia, uma é loira e a outra ruiva, respectivamente. Como é mudar de característica para a construção dos personagens dentro do set?

Anna: Há bastantes truques e técnicas... Você está constantemente tendo mudar rapidamente para ser uma e depois a outra. 

Isso soa cansativo.  

Eu sei! É apenas estranho me sinto muito engajada no set, que é uma coisa boa 

Você é australiana e fala com um sotaque bem americano. Você já teve a usá-lo antes?   

Tivemos aulas de sotaque na escola de teatro, fizemos todos os tipos de sotaques diferentes. Acho que quando você está trabalhando com pessoas com o mesmo sotaque você tende a pega-lo com mais facilidade.

Que palavras você fala mas não tem o sotaque americano?  

Oh, tipo um animal nós chamaríamos dee-ah? Colocando um R nele! 

Como é fazer as duas Olivias? Além do cabelo?  

A nossa Olivia tem um enorme desejo de ser o melhor no que faz, ela quer ser a melhor agente que ela pode ser, quer ser a melhor irmã que ela pode ser, quer ser a melhor tia, ela só quer realmente ser a melhor que ela pode ser. Já a Olivia alternativa é um pouco mais arrogante, só quer ganhar. Ela só quer chegar lá primeiro, só quer ganhar. 

Você fez alguma contribuição para o desenvolvimento da peronagem?  

 É interessante, porque isso tem sido realmente uma janela para uma jornada pessoal. Porque você começa geralmente um script com um começo, um meio e um fim; enquanto estamos fazendo 22 episódios para primeira temporada, você só tem episódio por episódio ... Nossos escritores nos obrigam a estar sempre " script ", por isso não há improvisação, sempre fazemos o que nos foi dado. Você pode fazer mudanças sutis no que foi escrito e moldar o seu personagem um pouco mais. Quando vi John Noble e Joshua [Jackson] esculpindo seus personagem na direção em que eles queriam ir sem mudar o diálogo, aprendi. Estava muito vazia de influência e pensava "a história vai cuidar de si mesma" e descobrir que você pode colocar um pouco mais [de si mesmo dentro dos personagens mais do ] que eu pensava. 

Como e quando? 

Percebi quando tive a oportunidade de jogar com este outro personagem [Fauxlivia], estava muito convencida de que iria fazê-la mais leve, mais divertida. Sentei com o figurinista e perguntei: "Como iremos diferentes, podemos dar-lhes ar de piloto de caça?" Ou, "Vamos dar a ela um cabelo vermelho comprido e vamos fazê-la um pouco mais divertida".

É mais confortável fazer a Olivia Alternativa?

Ela não leva a vida tão a sério! você passa 14 horas de um dia fazendo as cenas com as duas personagens, então, obviamente, os dias em que eu estou fazendo Olivia, que é mais séria ela me pede um peso a mais e termino o dia muito mais exausta. Já os dias em que faço Fauxlivia é um pouco mais fácil porque ela é mais leve, sorrir mais facilmente.

Você fez alguma coisa para se preparar para seu papel?  

Todos nós que éramos agentes do FBI sentamos e conversamos com agentes do FBI, fizemos algo como uma conferência em que ele falaram sobre os detalhes do FBI, ao contrario da Segurança Nacional. Tivemos pequenos treinamentos com armas como: forma de segurar uma arma.

As cenas de lutas, são divertidas? 

Sim! Eu amo todas as cenas de ação. Não sabia se ia fazer muitas delas.




*Fotos:



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este é um espaço de diálogo e troca entre os visitantes do blog. Compartilhe sua opinião respeitando a opinião dos demais. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário que julgarmos inoportuno ou que não esteja de acordo com a política do blog: Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...