quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

In Treatment: Relação Paul e Laura



Laura diz que ama Paul no primeiro episódio. Ele lutou consigo mesmo durante episódios para não acreditar que ele também gostava dela. Paul queria que Laura entendesse e eles pudessem superar a transferência e poder lidar com qualquer atração que surgir entre eles sem prejudicar a terapia. Mas ele não conseguiu e acabou se apaixonando por ela (contra-transferência).

Gina alertou Paul sobre Laura: "Se fossem diagnosticar terapeutas cujos matrimônios acabaram quantos casos de transferência erótica encontrariam? às vezes a transferência é um teste de sua vida conjugal. Se um terapeuta não consegue lidar com uma situação onde sua paciente se apaixona por ele pode indicar algum transtorno em sua vida privada.”

Paul quando estava numa sessão com a Gina citando uma briga com Kate ele troca dela pelo da Laura (é o famoso ato falho).

Teve uma sessão em que Laura chorou e Paul revelou que ficou comovido de vê-la amolecer daquele jeito. E naquele momento ele teve vontade jogar tudo por e ficar com ela, ele assume que é muito difícil ficar sozinho com ela. 


Gina definiu a relação de Paul e Laura: “Laura não é um objeto sexual para Paul. O relacionamento deles não é baseado nisso é mais modesto. Ela não é a fantasia sexual dele não se trata de desejo sexual. A ameaça real é que ele pode ter se apaixonado por ela de verdade. O passado de Paul indica a maneira como se comporta em relação à Laura, está procurando uma mulher jovem à qual acrescente algo que o admire assim como Kate fazia. Mas isso também o faz ir de encontro com o que aconteceu com o seu pai e isso o deixa apavorado”(episódio 1x30).
Quando Laura contou para Paul que gostava dele ela tinha duas cenas na cabeça sobre o que aconteceria depois:

“No primeiro você se levanta e me abraça e você diz: Eu também te amo, Laura. Tenho me sentido assim há um bom tempo só queria que você dissesse isso primeiro e então nós faríamos amor. E o segundo cenário é como o primeiro, mas sem o sexo nós apenas nos sentamos juntos”. 


Pra mim o episódio mais tenso entre eles foi o 1x21. Paul já tinha declara do em voz alta para si e para Gina que amava Laura e ele sabe que ela o ama de verdade não só baseado nas delaclações dela, mas também por Alex pois ele relatou numa sessão que sentia que ela estava totalmente apaixanoda por outro cara. E o abraço deles no final da sessão foi bem tenso para Paul como homem se segurar.


No episódio 1x26 Paul se declara para Laura e é importante lembrar que ela se declara no primeiro episódio:

Paul: Estou mesmo feliz que tenha ligado.
Laura: Sério? Sentiu saudades de mim?
Paul:  Sim, senti.
Laura: Mesmo depois da saída dramática da semana passada?
Paul: Sim. Acho que a perspectiva de não vê-la mais meio que me assustou.
Laura: Perder um paciente é tão ruim assim?
Paul: Perder você é ruim. Se sente incomodada por eu ter dito isso?
Laura: Para ser sincera não acredito em você.
Paul: É a verdade, Laura. Acho que está na hora de você saber.
Laura: Saber o que?
Paul: Que tenho sentimentos profundos por você. Penso em você o tempo todo. Sinto mesmo saudades, às vezes. Não, não só às vezes. Freqüentemente.
Laura: E agora? Se eu disser sim, então o que irá acontecer?

No episódio 1x43 Paul decide ver Laura na casa dela e falar que ama ela, não se viam desde o funeral do Alex fazia então duas semanas. Quando ele estava na casa dela ele recebe uma ligação de sua filha Rosie, acho que foi um fator importante para o desfecho a relação Laura e Paul. Eles conversam, ela fala que está frustrada com ele e não sabe o que é para ele, pois não são amantes, não são namorados e não são paciente - terapeuta, então o que são? Paul propôs decidir o que eles são. Durante a conversa deles ele tenta explica o que ela está sentindo, mas ela o repreende dizendo: “Não explique o que estou sentindo. Não precisa me dizer o que estou pensando”. Ela dá um ultimato a Paul dizendo: “Não quero mais apenas viver o momento. Quero que dure. Não quero ser o consolo de um casamento que esfriou ou para o trabalho que virou rotina. Você não quer isso de verdade, quer Paul?". E ele diz: "Quero".

Laura sai da sala aonde eles estavam e vai para o quarto e Paul depois de um tempo vai atrás dela e ele chega no quarto ela tira a blusa. Mas ele não consegui fazer nada com ela pois teve um ataque de ansiedade. Ele se sentia sufocado, o coração disparou e se encharcou de suor (clássico ataque de pânico). Acabou dando o fora de lá mais rápido que pude.


Segundo Gina ele sabotou a si mesmo. Os conceitos pessoais, profissionais e morais de Paul o impediram de se magoar e de magoar Laura. Para eles a terapia dela foi um sucesso.

É importante lembrar que todas as vezes que eles conversavam Paul contava uma história que dizia Laura eu gosto de você mais vai embora isso é errado como a historia da professora, a do pai dele.  

A primeira temporada termina com Paul e Gina conversando:

Paul: Ela podia ter sido o último amor da minha vida e a deixei partir. O que restou para mim agora, Gina?
Gina: Teremos que discutir isso.



Como Laura ver Paul (versão Paul contando para Gina): “ela vê um homem, muito mais velho do que ela. Um homem forte, autoritário. Pensa que se pudesse aproximar-se dele talvez pudesse apanhar um pouco de sua força. Mas ao mesmo tempo espera que ele a desaponte porque, inevitavelmente essa é sua história com os homens. Acha que não estarei interessado nela, a não ser sexualmente. Associa o interesse por ela com o sexo. Para ela o sexo é uma moeda que usa para pagar pela proteção emotiva dos homens. Acha que sou um covarde, o que é um pouco decepcionante. Acha que estou completamente apaixonado por ela, que acho o resto dos meus pacientes uma porcaria, e que mal posso esperar pela sessão que terei com ela. Suponho que me acha atraente. 

Como Paul ver Laura (versão Paul contando para Gina): “Histérica, alterada, desordenada. Tem 30 anos. Ela é linda. Lindo sorriso, sedutora, muito astuta, muito inteligente. Tem essa risada que sai naturalmente, vem do nada, como um cavalo galopando. Podia dizer que é inocente, vulnerável o que me faz querer abraçá-la. Está fascinada por sexo. Bem, pelo poder do sexo. Como se fosse uma adolescente, que acabou de descobrir. Sempre faz menções a intensas experiências sexuais que às vezes são muito poéticas”.

Como Kate ver Laura (ela descreveu Laura na terapia de casal com Paul para Gina): Ela é uma mulher cheia de desejo sexual, usando sapatos de salto às dez da manhã. Tem uma beleza estonteante, é muito jovem, tem um olhar traiçoeiro, indiferente e frio, um ar de autoconfiança o que é obviamente uma grande mentira. Ela é tão falsa, é o tipo de mulher que sempre consegue o homem que quer. Uma mulher como essa sempre foi a fantasia dele. Maravilhosa, independente, inatingível. Ela é só sexo, o sexo é uma coisa que a controla que determina a distância entre ela e outra pessoa (episódio 1x30). 

Como Laura ver Paul (ela descreveu numa sessão com Paul) “Pensei que você estava morto e por baixo deste profissional existe um homem cuja vida parou. Desejei tê-lo em minhas mãos para você voltar a viver. O vejo você Paul do jeito que é suas imperfeições que não está bem consigo mesmo, nem com sua profissão, nem com quem se tornou. Não sei muito sobre sua vida, mas acho que não é feliz você parece impaciente e perdido. Você está carente, e sei bem reconhecer carência. E o quero do jeito que é. Perdido, impaciente, carente, casca dura e tudo mais”.




Explicando a relação terapêutica entre Paul e Laura
  
Bico de sinuca - Cena 1


*Fotos:






 
Laura e Paul no enterro de Alex

Episódio em que Kate ver Laura saindo do escritório de Paul

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este é um espaço de diálogo e troca entre os visitantes do blog. Compartilhe sua opinião respeitando a opinião dos demais. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário que julgarmos inoportuno ou que não esteja de acordo com a política do blog: Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...