quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

In Treatment: Melissa George/Laura


Melissa George nasceu em Perth, Austrália, no dia 6 de Agosto de 1976. Era casada com Cláudio Dabed e vivia com sua enteada Martin Dabed. Em 2011 encontra-se separada do seu marido Dabed e namora Russell Simmons. Melissa foi campeã nacional de patinação na austrália e participou do Campeonato Nacional de Patinação em 1989 e 1990, conquistou medalha de bronze. Também ganhou uma medalha de prata no Campeonato Mundial Junior de 1991. Fez participações em séries como: Charmed, Alias, Friends, Lie to Me, Grey's Anatomy e In Treatment. Em filmes ela atuou em diversos: Dark City (1998), The Limey (1999), Mulholland Drive (2001), The Amityville Horror (2005),Turistas (2006), 30 Days of Night (2007) e Triangle (2009)

Melissa com Martin Dabed                                 Melissa com  Russell Simmons

Melissa é Laura em In Treatment é cliente de Paul que possui uma transferência erótica para com ele. É médica anestesiologista. É uma mulher jovem de 30 anos solteira e sedutora. Tem um irmão Oliver, sua mãe faleceu de câncer quando ela tinha 15 anos e seu pai ainda vive. Tinha um namorado Andrew.

A mãe de Laura costumava fazer tortas de queijo bem macias com cheiro delicioso toda sexta-feira à tarde e depois dela brincar com seus amigos ela ia para casa com aquele cheiro. E depois que ela adoeceu parou de cozinhar. Odeia omelete não tudo o que leva ovo, mas principalmente omelete porque era isso o que ela e o pai dela comiam durante um ano após a morte da mão dela.

No verão depois da morte de sua mãe, Laura junto com seu pai foi morar com David e Célia um casal amigo dele que moravam em São Diego que não tinham filhos. David era muito gentil com ela costumava levá-la para acampar, surfar e ela começou a se sentir atraída por ele; para ela ele parecia com o Nick Nolte. Ele era um refúgio para ela, desde que seu pai ficou depressivo e triste devido à morte da mãe dela. Para Paul esta situação de uma filha cuidar do pai doente é antinatural, ou seja, uma versão invertida de como deve ser, como uma espécie de morte, em que um filho toma o papel de pai.
Nick Nolte

Ela viu David seis meses depois do verão ele foi para Washington devido ao trabalho. Às vezes ele dormia na casa deles apesar de ter um quarto no Hay Adams. Era um David diferente do que ela descreveu no verão aquele de óculos de sol, filtro solar e prancha de surf. Agora era advogado de terno e gravata com um corte de cabelo caro e uma barriguinha de meia idade.

Foi com ele que ela primeira vez dela. Ela diz que o seduziu como Lolita seduziu Humbert Humbert, ela contou como foi a primeira vez deles:

“Um dia ele veio para o jantar e meu pai estava no trabalho nos sentamos na varanda eu estava pintando as unhas do pé. Ele deixou claro que estava tendo problemas com a Célia. Estávamos sentados no balanço da varanda, eu estava de um lado e ele do outro; apoiei minhas pernas sobre as dele para secar as unhas e ele começou a fazer  perguntas sobre mim sobre o que eu pensava e comecei a falar sobre os Red Hot Chili Peppers e comecei a cantar em voz alta: "I don't ever wanna feel like I did that day." David cantou comigo e cantávamos muito mal e gritávamos e senti a ereção dele debaixo do meu pé. Estávamos apenas nos balançando e o ritmo começou a tomar conta de nós e comecei a roçá-lo com meu pé. Apesar de nunca ter tido feito isso antes. Usava uma saia de florzinhas ele afastou minha saia com os dedos seus dedos começaram a subir cada vez mais, depois vimos o Volvo do meu pai chegar por isso fomos ajudá-lo com as compras, e lembro-me de ter rido muito, porque ele pôs as sacolas na frente de sua ereção. Começamos a rir, como adolescentes. Ele dormiu lá naquela noite, no quarto do Oliver (ele dormia na Faculdade nessa época).

De madrugada levantei-me, porque não conseguia dormir e fui pelo corredor da casa o quarto do Oliver ficava nos fundos da casa e vi a luz acesa. A porta estava aberta e ele me esperava. Fizemos amor, foi lindo e durante os dois meses em que ficou na cidade, fizemos amor quase todos os dias geralmente pela manhã quando o meu pai trabalhava. Às vezes até à tarde quando ele não tivesse que ir ao tribunal matava aula e algumas vezes fui ao seu hotel luxuoso. Senti-me adulta e importante andando com os sapatos de salto da minha mãe". 

Laura contou para seu pai sobre David e ele falou "Já imaginava”. Perguntou se isso tinha continuado depois, e ela disse que não foi algo passageiro e que não aconteceu com ela. Ela declarou em uma sessão que não queria ter transado com ele, mas queria que ele a levasse para longe daquela casa que estava de luto (“aonde a morte pairava”) por lá.
 



Laura e Alex: Laura teve um caso com um paciente de Paul o Alex, o piloto. Depois da sessão que Paul tentava conversa com ela sobre a possibilidade de parar a terapia. Quando ela sai encontra com ele, ela teve relações com Alex e contou cada detalhes vívidos e explícitos para Paul numa sessão durante meia hora, falando do que gostou, do que não gostou, do que ele gostou, o que ela fez, o que ele fez. Numa sessão com Paul, Alex conta: 

“Sábado, depois que transamos, ela subiu nas minhas pernas. Começou a se esfregar em mim, como se eu nem estivesse lá. Era óbvio que ela estava fantasiando sobre outra pessoa. E então, ela começou a chorar. Com lágrimas e tudo. Ela estava chorando e perguntei: "Laura, o que houve? Está tudo bem?”. Ela nem sequer olhou para mim. Nem sequer me respondeu, como se eu fosse apenas um boneco inflável”.

Com certeza  ela estava pensando em Paul e isso deixou Paul nervosíssimo no fim da sessão. 





* A música que Laura contou com David do Red Hot Chili Peppers e comecei a cantar em voz alta: "I don't ever wanna feel like I did that day" se chama Under The Bridge:

- Links
           da letra:  
http://letras.terra.com.br/red-hot-chili-peppers/32739/
           da cifra:  
http://www.cifraclub.com.br/red-hot-chili-peppers/under-the-bridge/
           do clip da música: 
http://www.youtube.com/watch?v=GLvohMXgcBo&feature=player_embedded

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este é um espaço de diálogo e troca entre os visitantes do blog. Compartilhe sua opinião respeitando a opinião dos demais. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário que julgarmos inoportuno ou que não esteja de acordo com a política do blog: Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...